romances de guerra e paz

Publicado . 2022-03-07 | Categorias . Artigos

.

.

.

.

Para que queremos romances se não for para nos trazerem vertigem ao remanso dos nossos dias? Elegante, intrigante, extravagante, a colecção romances de guerra e paz, com este título todo em caixa baixa, é uma colecção de caixa alta nas emoções. Vejam como a Guerra e Paz editores está a estrear a mais nova colecção literária de Portugal.

Convidamos os leitores a viajarem já com a colombiana Lorena Salazar Masso. Escreveu Esta Ferida Cheia de Peixes. Que belo romance de estreia! O romance é uma subida de um rio, como a subida do rio no Apocalypse Now, que Coppola foi roubar a Conrad. Uma mãe branca leva o filho negro, menino que criou, a ver a mãe negra biológica que o quer conhecer. Na magnífica tradução de Luísa Mellid Monteiro, sobem um rio mergulhado numa selva de inquietação, rumores e perigos que podem desembocar, como n’O Coração das Trevas, no horror.

Lado a lado com Lorena Salazar, a Guerra e Paz publica Shalom Auslander, o mais provocador dos escritores judeus americanos, insólito cruzamento de Philip Roth e Woody Allen. Mãe para Jantar vai ser o seu primeiro romance publicado em Portugal. Com uma bela tradução de Mónia Filipe, é uma sátira que tem por protagonista a mais inesperada minoria étnica, os canibais-americanos. É o romance de uma mãe que diz aos seus filhos «Comam-me». E é um romance com todos os cheiros, sons e paradoxos da Nova Iorque de hoje.

Ah, a mais nova colecção literária de Portugal tem já o seu bestseller. Do alemão Jurek Becker vamos publicar Jacob, o Mentiroso, romance de uma terna sensibilidade e belo recorte literário, inédito em Portugal, apesar de traduzido em 25 línguas, com vendas de mais de um milhão de exemplares só na Alemanha e em 8.ª edição no Brasil.

Os nossos romances de guerra e paz incluem ainda o angolano José Luís Mendonça (As Metamorfoses do Elefante), narrativa de sonhos e pesadelos que começa com um surto pandémico de riso em Angola, o holandês Gerrit Komrij (Um Almoço de Negócios em Sintra, traduzido por Fernando Venâncio), o francês Abel Quentin (O Vidente de Étampes, vencedor do Prix de Flore), o já consagrado italiano Domenico Starnone (Vida Mortal e Imortal da Rapariga de Milão) e o cubano Emerio Medina (Fantasmas de Ferro), vencedor de quatro prémios: Casa de las Américas, Prémio Julio Cortázar, Prémio Alejo Carpentier e União dos Escritores e Artistas de Cuba.

Vão ser, em 2022, dez novos romances. Prometemos vertigem, algum assombro e, também, inovação literária. Queremos oferecer aos leitores portugueses romances do mundo, romances sem fronteiras. Elegantes, intrigantes, extravagantes são romances de guerra e paz.

.

.

.

.

Partilhe este conteúdo