Revolver

Publicado . 2022-05-24 | Categorias . Artigos

No seu novo livro, Revolver, Sérgio Almeida prova que um jornalista premiado também pode encontrar na poesia uma janela para o mundo, um lugar de reflexão onde convivem o lirismo e o quotidiano. Já anteriormente aplaudida por escritores como Valter Hugo Mãe, a escrita de Sérgio Almeida ganha agora novo fôlego numa obra em que por vezes se destaca a sátira e noutras se visita, com desassombro, o nonsense. Revolver chega à rede livreira nacional no próximo dia 31 de Maio. A apresentação do livro acontece no dia 8 de Junho, pelas 19h00, no Café Rivoli, na cidade do Porto, e contará com a apresentação da poeta Rosa Alice Branco e a leitura de poemas da diseur, Cristiana Sabino.

 

«Um exercício memorialístico em tons de poesia sobre a matéria de que somos feitos. Um abrir e fechar constante das gavetas do passado que milagrosamente nos devolve um (quase) sorriso. Calma, “o passado já lá vem”.» Revolver é assim descrito pelo seu autor, Sérgio Almeida, jornalista na área cultural há mais de duas décadas e que dá aos livros o tempo que muitos anunciam esgotar-se. Neste seu quarto livro de poesia, somos convidados a ver a vida com a lente de quem vive longamente e conta as mortes que lhe restam. Levados a reflectir sobre as grandes coisas, como a existência, a fé, ou a falta dela, e as relações humanas. Exortados a ver o belo na banalidade e no quotidiano.

 

Um lugar de sátira social e política, Revolver funde o amor com a espuma dos dias. Um lugar de coragem, Revolver não teme o nonsense e incita a que se dance como Saramago, se escreva como Pelé, se seduza como Pessoa, se grite como Chaplin e se insulte como Gandhi. Um lugar de memória, Revolver fala de uma infância que permanece eterna, de um tempo em que não havia tempo, de uma ausência e um vazio impreenchíveis.

 

A poesia de Sérgio Almeida é feita de uma «melancolia contida», que, segundo o escritor Valter Hugo Mãe, «não é da tradição portuguesa». «Feita de pranto ou desalento, é mais da ordem de uma angústia questionadora que procura tanto diagnosticar quanto denunciar», escreveu a propósito do último livro de poesia de Sérgio Almeida.

 

Revolver chega à rede livreira nacional no próximo dia 31 de Maio, com a chancela da Guerra e Paz Editores e incluído na colecção de Poesia, que integra grandes poetas contemporâneos, dos consagrados Eugénia de Vasconcellos ou Jorge Melícias às novas vozes da premiada Ana Paula Jardim ou de André Osório. O lançamento oficial da obra acontece no dia 8 de Junho, pelas 19h00, no Café Rivoli, na cidade do Porto, e contará com a apresentação da poeta Rosa Alice Branco e a leitura de poemas da diseur, Cristiana Sabino.

 

Além de poesia, Sérgio Almeida já publicou uma vasta e diversificada obra, incluindo novelas, contos e literatura infanto-juvenil. O lado de escritor e de jornalista cultural complementam-se, tendo sido agraciado com o Prémio Escritaria em 2014 e com o Prémio Internacional César Vallejo – Unión Hispanomundial de Escritores em 2021. 

 

.

.

.

.

Revolver

Sérgio Almeida

Ficção / Poesia

80 páginas · 16,5x20 · 13 €

Nas livrarias a 31 de Maio

Guerra e Paz, Editores

.

.

..

.

.

.

..

.

.

.

Partilhe este conteúdo