Agnès Ledig

É parteira. Começou a escrever em 2005, quando o seu filho ficou doente com leucemia. Todos os domingos, escrevia páginas e mais páginas de dúvidas, esperança, sorrisos, lágrimas, pequenas alegrias partilhadas e coragem… a coragem de um menino de cinco anos.