AUTOR.jpg

Irene Guerra Marques

natural de Luanda, licenciada em Filologia Românica pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Entre 1965 e 1975 foi professora de Língua Francesa e de Língua e Literatura Portuguesa. Foi coordenadora nacional de Língua Portuguesa e Literatura Angolana no Centro de Investigação Pedagógica (CIP, CIPIE) do Ministério da Educação entre os anos de 1976 e 1982. Desde 1983 até 1988, dirigiu o Instituto de Línguas Nacionais tendo posteriormente, entre 1988 e 2000, sido directora do Instituto Nacional de Formação Artística e Cultural. De 2001 a 2002, desempenhou as funções de assessora principal do vice-ministro da Educação e Cultura para a Reforma Educativa e, entre 2003 e 2010, foi consultora dos ministros da Cultura. Entre 2002 e 2019, foi docente das cadeiras de Língua Portuguesa e de Literatura Angolana na Faculdade de Letras da Universidade Agostinho Neto, onde exerceu, de 2010 a 2015, o cargo de chefe de Departamento de Língua Portuguesa.

Participou ainda nos trabalhos de reestruturação do ensino secundário, de reformulação do ensino superior e na organização do ensino artístico em Angola. Trabalhou na instalação da Faculdade de Letras e Ciências Sociais e, posteriormente, na da Faculdade de Letras para a qual elaborou diversos programas curriculares e introduziu a disciplina de Literatura Angolana. É autora da primeira antologia de literatura angolana, Poesia de Angola (1976), e das primeiras colectâneas intituladas Textos Africanos de Expressão Portuguesa (1976) criadas para o sistema de ensino angolano após a independência. É autora de vários livros e trabalhos nas áreas da linguística e da investigação literária, dos quais se destacam os seguintes: Antologia Poesia de Angola (1976); Breves Considerações sobre a problemática linguística em Angola (1985); Henrique Abranches, o Homem dos Sete Talentos (2003); Dos Desertos, dos Sonhos, das Travessias e do Futuro (co-autora), 2010; Antologia de Narrativas Tradicionais (co-autora) (2011); Entre a Lua, o Caos e o Silêncio: a Flor (co-autora) (2012, 1.ª edição); O Boletim Cultura II e a Sociedade Cultural de Angola (co-autora) (2013); O Livro de Oiro da Literatura Infantil (co-autora) (2013); Línguas de Angola (2005); Novo Acordo Ortográfico de 1990 – art.º (2008); Línguas e Políticas de Línguas em Angola nos Períodos Colonial e Pós-colonial – art.º; Uma Metodologia Possível para o Ensino de Português em Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa – art.º; O sistema de ensino angolano, após a Independência, art.º. Tem participação activa em seminários, conferências e congressos, bem como em júris de prémios literários nacionais e internacionais. É membro fundador da Academia Angolana de Letras (2016), membro honorário da União dos Escritores Angolanos (2016) e foi distinguida com o Diploma de Mérito da Faculdade de Letras da Universidade Agostinho Neto (2015), o Diploma de Honra do Ministério da Cultura de Angola (2015) e a Menção Honrosa da Universidade Agostinho Neto (2015). Em 2019, foi-lhe outorgada, pelo Presidente da República de Angola, a Ordem de Mérito Civil do Primeiro Grau.

BIBLIOGRAFIA: