-20%

Revoltas Escravas – Mistificações e Mal-Entendidos

Autor(es): João Pedro Marques

Os escravos africanos terão sido os primeiros antiescravistas do mundo colonial moderno? A sua resistência terá sido a causa principal do fim da escravidão? As leis abolicionistas que os vários países ocidentais aprovaram a partir de finais do século xviii terão sido apenas o capítulo final da épica luta antiescravista mantida pelas populações escravas?

11,20 

Adicionar aos Favoritos
Adicionar aos Favoritos
Partilhar:
Mais sobre a obra:

Um ensaio polémico sobre a escravatura.

 Os escravos africanos terão sido os primeiros antiescravistas do mundo colonial moderno? A sua resistência terá sido a causa principal do fim da escravidão? As leis abolicionistas que os vários países ocidentais aprovaram a partir de finais do século xviii terão sido apenas o capítulo final da épica luta antiescravista mantida pelas populações escravas ao longo de séculos?

O historiador João Pedro Marques responde a estas e outras perguntas nesta edição revista e aumentada, mostrando que a maioria das grandes revoltas ocorridas até finais do século xviii não foram antiescravistas, no sentido em que não tinham como objectivo a erradicação da escravidão. Não devemos minimizar o facto de que, em quase todos os casos de revolta, muitos escravos preferiram permanecer leais aos seus senhores e muitas revoltas foram mesmo abortadas ou esmagadas no berço porque esses escravos – geralmente as mulheres – as denunciaram.

Ficha Técnica:
Categoria(s): História, Cultura e Religião, Não Ficção
Colecção: Livros Vermelhos
Nº de Páginas: 134
Ano de Edição: Junho 2022
ISBN: 978-989-702-828-1
Formato: 15x20
Capa: Brochado
Outras sugestões:

Seleccione um ponto de entrega