Guerra e Paz Editores: os livros de Julho 2022

Publicado . 2022-07-01 | Categorias . Artigos

Nas livrarias a 12 de Julho:


O Vidente de Étampes, Abel Quentin
Se o leitor é de esquerda, nostálgico do Maio de 68, anti-racista, tem no narrador deste romance um irmão de armas. O narrador escreveu um ensaio sobre um poeta negro, que morre como Camus, estampando-se contra uma árvore. Publica e, quando dá conta, a barbárie activista das redes sociais espeta-lhe mil facas no corpo e na alma.

As Caves do Vaticano, André Gide
E se o Papa fosse secretamente raptado? E se um homem cometesse um crime gratuito impossível de descobrir? André Gide, Prémio Nobel da Literatura, oferece-nos uma sátira declaradamente anti-clerical. Uma provocação imperdível.


Sonata de Estío, Ramon de Valle-Inclán
O mais clássico dos escritores modernistas espanhóis leva o protagonista deste romance a uma viagem ao México: para esquecer amores desgraçados. O incêndio e paixão de uma jovem crioula vão pôr em fogo o Estio de Valle-Inclán.


Olga Roriz: Vida num Corpo Inquietodiálogo de Olga Roriz e José Jorge Letria
No mais novo livro da colecção «o fio da memória», Olga Roriz fala da sua vida e do percurso que a levou à dança, do trabalho com Salavisa e na Gulbenkian, até à formação da sua companhia. Com fotografias.

O Teu Livro de Superpiadas
Anedotas, curiosidades, adivinhas, no mais novíssimo livro infanto-juvenil da Guerra e Paz. Os super-heróis também se riem e sabem fazer rir.

.

.


.

.

.

.

Nas livrarias a 26 de Julho:

Bartleby, O Escrivão, Uma História de Wall Street, Herman Melville
Um advogado contrata para o seu escritório um novo escrivão, que se mostra diligente e eficaz. Até ao dia em que, a um pedido, diz: «Preferia não o fazer.» Descobrimos aí que estávamos, desde o começo, a ler uma obra-prima da ficção de todos os tempos.

Persuasão, Jane Austen
O derradeiro romance da monumental cabeça emotiva que foi Jane Austen: talvez o maior e mais gracioso dos seus livros, o romance da segunda oportunidade. Anne Elliot foi persuadida a rejeitar o homem que amava: agora, que ele voltou, poderá a mais madura das heroínas de Austen seguir os seus instintos?


De Profundis, Oscar Wilde
Da prisão, Oscar Wilde, condenado a dois anos de trabalhos forçados pela sua ligação homossexual ao filho do Marquês de Queensberry, escreve uma longa carta ao jovem amante. Confessa-lhe que passou a identificar-se com Jesus Cristo, espelho do artista romântico e individualista. Talvez as mais belas páginas de prosa já escritas!

Os Fantasmas de FerroEmerio Medina
Três amigos de infância. “Ando desde os 10 anos contigo”, dirá um. Dois dos amigos sentem-se atraiçoados pelo outro. Metem-se num bote e vão para a baía. “Nada melhor do que água para arejar razões”. Com eles vai a tragédia. E há sempre a sombra de uma mulher. Um delicado e desolado romance cubano.

República de Santa Bárbara (Relato Particular sobre a Cidade Capital), Jacques Arlindo dos Santos
Romance ou relato? Algures em África, ouve-se um fado. O fado das ilusões perdidas de uma independência atraiçoada. Antigos guerrilheiros idealistas convertidos ao tilintar do vil metal. Gente interesseira, gente enganada, gente sem saída. Um relato particular que pede leitura compulsiva.

.

.

.

.

.

Guerra e Paz editores: porque é preciso virar a página

.

..

.

.

.

.

.

Partilhe este conteúdo